14 dezembro, 2006

No corredor da morte lê-se, com atenção, a relação amorosa entre o Papa e a sua Lolita, onde se faz prova que o Papa não passa de um humano e demasiado humano quando fode. Está explicado o cheiro “ nauseabundantemente” da urbe e a sua deficiente rede de saneamento público, onde os cagalhões, nadam romanticamente no Rio. É um acontecimento literário, neste ano literário onde a Geração Tecla Três ( no próximo nº 3 da Voz de Deus será aprofundada este tema, há que estar atento lá para Fevereiro 07) domina. Depois da Geração X e da Geração Rasca, a Geração Tecla Três dá o mote em todos os géneros e feitios da máscara nutritiva da nossa quadra natalícia, principalmente no critico: não li, mas a minha opinião é: ...

E neste sentido há que ter em conta Giacomo Leopardi e à sua profecia: “Ouve, Copérnico ( deve ler-se Lolita)… e se queres estar mais tranquilo, segue este conselho: o livro que hás-de escrever a propósito disto, dedica-o ao Papa. Desse modo, prometo-te que nem perderás o canoninato.” E assim Lolita seguiu as regras, a profecia.

Na Pulga já está à venda “ Manual do Desempregado” de Liberato, ed. Mortas, 8€.
- Dentro de dias “ Saloon”, de A. Pedro Ribeiro e “Teatro d’Abjecção”, de A. Dasilva O

1 comentário:

Paulo Serra disse...

Gostaria de saber se já posso adquirir o livro de A. Pedro Ribeiro.

Obrigado