17 outubro, 2008

Seja mais rápido que um AVC

Eis a palavra de ordem de momento
Capital, Money e Cifrão
Divagam, disfarçados de vagabundos,
Pelas Wall Streets da aldeia global
A fazerem grafitos
Comemorando a morte do capitalismo
Selvagem e a derrocada do todo o seu mundo
Neo-ultra-liberal, nas montras das lojas
Suástica, Dachau, Balneário,
Fio Dental, Solução Final Investimento
Compra e venda de valores e direitos
Humanos e inumano e outras marcas por demais conhecidas
Gatafunham restos mortais de velhos
Discursos adivinhatórios
E outras teses paranóico-políticas
À volta do Estado Providência e afinal do seu Santo Ofício


Por cá diz-se poesia
Já que para lá de não falar
O dinheiro não imagina
Puta que o pariu
Declama o dizeur enquanto faz
Um broche a Deus

Reza-se por alma dos recentemente desaparecidos
Na literatura
O grande vazio criado pela sua morte
Para gáudio deste povo sofredor
Dado que é portador de um intelecto doentio
Segundo as últimas análises ao sangue, às urinas, esperma
Para além de várias radiografias, raios-x, electrocardiogramas
E diárias provas de esforço
Assim como do seu animal de estimação preferido
O Abutre que influenciado pelo efeito estufa
Começa a devorar as suas vítimas
Muito antes de estas falecerem e saciados
Pelos recentemente mortos
Rejubilam pelo vómito todo poderoso
Que inunda por completo o grande vazio
Em forma de uma língua

1 comentário:

Mariana disse...

Precisavar de sorver um clister. beijão