04 abril, 2009




Money Fucks
A. Dasilva O. no passado dia 3 de Abril 2009
Na livraria Clube Literário apresentando o novo livro A. Pedro Ribeiro
« Queimai o dinheiro» ed. Corpos



O dinheiro não imagina
Não fala
Mas suja e conspurca

Com este livro o poeta reúne-se numa zona de protesto
Apelando à acção
Através de um discurso de superfície
Fazendo prova desde a noite
Dos tempos da sua tarefa
Roubar ao sagrado
A matéria celeste
Para poder ser real

Trágico

Apela à desordem

A poesia não tem razão
Se se refugia no deve e haver
Do estado poético
Como mercado e entretenimento
De um jogo floral
De emoções

O poeta hoje
Assassinado
E ressuscitado
Nessa zona de protesto
Embebeda-se de mitos,
Signos entre a raiva impotente
E a revolta absurda
Disparando em todas as direcções
Ora diurno
Ora nocturno
À superfície
Ou no subsolo
No salão nobre
Ou na cagadeira
Pontapeando
A sua época
A sociedade
Para a lucidez
Na utopia
Essa terra de ninguém
Dançando
Mal fodido
Entre
«os que actuarão e quererão chegar muito alto
E os que ficarão em silêncio à espera das transformações
Os históricos e os profundos
Os criminosos
E os monges» G.Benn (1949)
Queimai o dinheiro


2 comentários:

apedroribeiro disse...

obrigado.

silenciodospoetas disse...

Enquanto houver dinheiro nunca haverá bastante para todosSaúde e perdoem a publicidade, mas achei oportuno. Traduzi e difundo Um Mundo Sem Dinheiro, escrito nos anos 70 em França por um colectivo revolucionário. Está disponível em (html)http://velhatoupeira.hbe.com.br/msd0.htm
(pdf) http://velhatoupeira.hbe.com.br/pdfs/msd.pdf

Um crítica ao dinheiro traduzida por quem tem tanta falta dele.