29 julho, 2009

A.Dasilva O. escreve guião, as imagens já estão recolhidas, e a pulga.estudios trabalha a todo o gás para a breve prazo no youtube, twitter, facebook,..., apresentar a Novela T: O SONHO NAO DORME

1 comentário:

Anónimo disse...

"Caro sr. Vamos acabar por aqui esta conversa ,mas espaço t nunca em tempo algum iria copiar um conceito ,alias diga me como e que eu iria saber da existência desse seu projecto ,
Não nos conhecemos ,não trabalhei na porto 2001 , nem conheço ninguém lá.
Bom trabalho"
Penitência?!
Sr.Presidente, caso que se assume como um agnóstico puro, um cagarolas; contudo, face à usurpação que o teria tentado a defecar os bonecos no hospitaleiro granito negro, o qual dignifica essa cidade pálida a bom gosto do chefe eleito desse Edil, vem nu a terreiro.Talvez tenha sorvido alguma consciência de tal aventura, quiçá tenha consultado historiadores dessa urbe, os quais o teriam enganado de propósito. Agora terá mais duas pernas no seu encalço, as do chefe do Edil, pois, ao saber-se enganado por Vª Exª, e que acreditou nas fabulosas investidas culturais que tivera desencadeado, poderá ser acometido de inusitada caganeira e despeja-lo da escola que ocupa, rumo à cidade de Gaia. Aliás, face à crise de emprego que grassa nesta Europa, aconselha-lo-ia a pedir desculpas
ao Autor que lhe rói o cerebrelo. Para tal bastaria ter uma aventura de cidadão que tentasse, ainda, influenciar os portuenses que era o pai dos ditos Ts, pavoneando-se em cuecas entre tais bonecos assexuados, a aí sim o Chefe acreditaria em nobre atitude, empurrando o Autor, também identificado, para o descrédito. Ou então assumiria um estatuto de copiógrafo, porventura já redundante noutros eventos,e iria à Comunicação Social, em pleno Telejornal, obrar o quanto mentira aos portuenses, ao chefe do Edil e a todos insultados para quem observou as suas veladas
ameaças e de auto-glorificação.Poderá alegar, ficava-lhe bem, se tentasse denunciar os tais que o empurraram para a "arena", convenhamos que VºExª gosta e adora , pois seria visível ser comentado na "praça", alegando que era na altura em que a gema do dito evento brotou, Vª Exª , era ainda um Cueiro. Um insuspeito portuense, ao serviço da Nação.