11 setembro, 2009

Hoje é o dia em que penetrámos na cidade profunda o cadáver e o espirito reverteram aqui à sua antiga consubstanciabilidade onde se ouve Anacreonte dizer ao seu amado " Tu és o senhor da minha psichê"









hoje visto-me de cadáver
e ardo nas torres do inferno
tal poema
na biblioteca de Alexandria

1 comentário:

Anónimo disse...

Então o Alexandre, "O Grande", não destruiu tudo o que houvera. Foi para ti, oh Poeta, que te deixou tal sentimento, entre cadáveres. Ab.